28/02/2020

Protagonista da Enfermagem Sergipana – Técnica de Enfermagem Leide Nunes de Oliveira Bezerra

Vamos conhecer melhor a história desta mulher de sorriso fácil, jeito tímido e delicado e com muito amor ao que faz.

O encontro com a nossa Protagonista da Enfermagem Sergipana deste mês de fevereiro aconteceu na Legião Feminina de Combate ao Câncer (LEFECC), onde atua a personagem principal desta matéria. Mas para compreender o porquê de nos encontrarmos nesse local, é preciso conhecer melhor a história de Leide Nunes de Oliveira Bezerra, uma mulher de sorriso fácil, jeito tímido e delicado e com muito amor ao que faz.

Leide Nunes, ou tia Leide, como é conhecida pelos familiares, amigos e colegas de trabalho, nasceu em Brejo Grande, cidade da foz do Rio São Francisco. Filha de Teresa Nunes de Oliveira e Manoel Bezerra dos Santos, a nossa Protagonista mudou-se para Aracaju aos 13 anos.

Foi na escola Presidente Vargas que estudou até o completar o ensino médio. E diferente de muitos jovens a respeito da incerteza do futuro profissional, Leide já tinha certeza do que pretendia. “Eu ficava encantada ao ver minha tia, que trabalhava no SESC como atendente, e já sabia o que queria para minha vida, a enfermagem”, relembra a nossa Protagonista.

O início profissional de Leide aconteceu enquanto estudava na Escola Profissionalizante de Saúde Augusto Leite, como auxiliar de enfermagem conquistou o estágio remunerado no Instituto Nacional de Assistência Médica da Previdência Social – INAMPS, antigo Instituto Nacional de Previdência Social – INPS.

Assim que terminou o curso foi contratada pelo Hospital Cirurgia, onde permaneceu por um ano. “Após este período eu saí, pois fui aprovada no concurso do Hospital de Urgência de Sergipe, o HUSE, que na época era o João Alves”, relembra a nossa Protagonista. Ela foi convocada em 01 de outubro de 1986, entrou como auxiliar e depois, com curso de técnica de enfermagem, foi readequada na função no hospital.

Leide ajudou a construir a história do antigo João Alves, afinal a inauguração do hospital só veio em janeiro de 1987. “Foi maravilhoso estar lá desde o início do HUSE”, recorda. Após a inauguração, a nossa Protagonista foi alocada na UTI, onde permaneceu por 30 anos. “Participei da inauguração de 4 UTIs, num total de 7 leitos. Comecei com 7 e saí com 27 leitos”, explica orgulhosa por fazer parte dessa história.

Em 1988 tia Leide fez concurso do município de Aracaju e, uma vez aprovada, recebeu o convite irrecusável da enfermeira Rosavina. “Ela me explicou que teria um lugar que eu iria amar, onde eu trabalharia com pessoas carentes do interior. Foi quando fui cedida, através do concurso, para ficar aqui, na Legião Feminina de Combate ao Câncer. A enfermeira Rosavina estava certa!”, explica.

Em 2017, próximo à aposentadoria, foi necessário que Leide Nunes fosse lotada na Unidade Básica de Saúde Edézio Vieira de Melo, no Siqueira Campos, saindo da LEFECC. Mas então, como nossa Protagonista foi parar novamente na Legião Feminina de Combate ao Câncer? “Assim que consegui a aposentadoria, retornei! Desta vez, como voluntária. Voltei por amor!”, esclarece.

 

A LEGIÃO

Tia Leide faz questão de ressaltar a importância do trabalho executado na LEFECC. “Muitas vezes as pessoas somente dão valor à questão do tratamento e não valorizam a prevenção, que é fundamental. E é isso que fazemos aqui, a prevenção, com muito amor”, pontua a Protagonista.

A Legião Feminina de Combate ao Câncer tem foco único e exclusivo na prevenção. “Quando a paciente faz o exame de lâmina, ao sair o resultado, caso seja positivo para o câncer, fazemos o encaminhamento. Na maioria das vezes sou eu quem às levo para o agendamento na oncologia do HUSE”, revela Leide Nunes.

São muitas as funções da nossa Protagonista da Enfermagem na Legião. “Aqui eu faço a manutenção dos consultórios, esterilização dos materiais, fico na recepção, agendo consulta, faço teste de glicemia, verifico pressão. Nosso foco é sempre oferecer o melhor cuidado para prevenir o câncer de colo do útero e de mama”, explica.

Além da colaboração de Leide Nunes, a LEFECC conta com o apoio de outros voluntários e profissionais. “Temos equipe de enfermagem e médica. Tem ginecologistas, mastologistas, psicólogos… Com exceção de quatro funcionários, somos todos voluntários”, explica a técnica de enfermagem aposentada.

Leide comemora o trabalho exercido na LEFECC, pois de acordo com ela, são pouquíssimos os casos de identificação do câncer nas pacientes acompanhadas pela ONG. “Sei que é reflexo da prevenção que realizamos aqui”, comemora a voluntária.

Em virtude das experiências adquiridas ao longo dos anos, Leide descobriu que era possível unir a enfermagem com o voluntariado e participou de ações com a Cruz Vermelha, com o grupo Handebol Master, com a Igreja que frequenta (1º Igreja Batista de Aracaju) e através de ações que faz pela LEFECC para o Lions Clube Cirurgia. “Eu amo minha profissão e o que faço”, evidencia, demonstrando a escolha acertada para ser a Protagonista deste mês.

Religiosa, Leide Nunes encerrou a nossa entrevista explicando o combustível que a impulsionou a fazer as escolhas que fez. “Eu encontrei na minha vida a forma de servir a Deus, cuidando de meu próximo através da minha profissão”. E complementou: “Existe um versículo bíblico que diz, ‘combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé’. Apesar de aposentada, quero continuar a carreira, combater o bom combate, preservar a fé e continuar fazendo algo importante, o bem ao meu próximo”. Nós agradecemos e parabenizamos por isso.




  • bannerConvenio207x117
  • bannerTransparencia 207x 117
  • e-dimensionamento-207x117