28/05/2020

MPT define testagem para profissionais de saúde

Audiência online reuniu MPT, Coren-SE, sindicados, além do professor da UFS, que coordenará 14.000 testes disponibilizados

Assim como o mundo, o Estado de Sergipe vem enfrentando a pandemia do novo coronavírus (Covid-19) e, diante desta batalha, umas das principais dúvidas, que acometem a classe trabalhadora na linha de frente do combate ao vírus, é sobre a contaminação dos profissionais em atuação. Quantos deles podem estar infectados e assintomáticos? Quantos estão com sintomas e já devem ter contraído o vírus? Para alcançar respostas mais definitivas destas e outras questões, faz-se necessários realizar testagem massiva. Para isso, representantes do Ministério Público do Trabalho propuseram uma reunião com as principais entidades de classe.

A audiência online do MPT, comandado pelo Dr. Emerson Resende e Dr. Albérico Neves, aconteceu na última quarta-feira, 27/05, e reuniu os representantes do Conselho Regional de Enfermagem de Sergipe (Coren-SE), o presidente Diego Rafael da Silva Borges e os membros da Comissão de Gestão de Crise (CGC), o coordenador Conrado Marques e colaborador Eduesley Santana Santos, além das participações de sindicatos e do professor Lysandro Borges, da Universidade Federal de Sergipe (UFS). O objetivo foi elencar critérios para testagem dos profissionais de saúde, uma vez que o MPT firmou parceria com a UFS, o que possibilitará a ampliação e alcance dos teste.

Para que a nova proposta ocorra, o MPT destinou verba que permitirá a realização de um total de 14.000 testagens. O fato das entidades de saúde e da enfermagem ultrapassarem este número (somente a classe da Enfermagem tem mais de 24.000 inscritos em Sergipe), não será possível abarcar todos os profissionais, sendo preciso estabelecer critérios para as avaliações. Via de regra, foi acatada na reunião a sugestão das diretrizes do Coren-SE, que é a testagem estratificada por categoria, respeitando a poporcionalidade quantitativa de profissional em cada uma delas. “Ou seja, a porcentagem do número de profissionais em cada categoria que atua na linha de frente, terá a mesma porcentagem para os testes, garantindo, uma avaliação justa”, explica Conrado Marques.

As avaliações serão iniciadas pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), Hospital de Urgência de Sergipe (HUSE) e Hospital Universitário de Sergipe (H.U.). Outras reuniões serão realizadas para definir ampliação dos testes para todo o Estado, sempre respeitando o quantitativo limitado dos testes ofertados pela parceria do Ministério Público do Trabalho e Universidade Federal de Sergipe. “Esta é uma ótima alternativa para trazer mais segurança e certeza aos profissionais, porém, não pararemos por aqui, continuaremos discutindo com os gestores até que consigamos adotar a testagem para todos”, afirma o presidente Diego Rafael.

 

Fonte: Ascom Coren-SE




  • bannerConvenio207x117
  • bannerTransparencia 207x 117
  • e-dimensionamento-207x117