04/06/2020

Hospital Regional de Estância Dr. Jessé Fontes recebe fiscalização do Coren-SE

Visita averiguou diversos pontos e denúncia recebida pelo Conselho sobre exercício irregular de enfermagem

O município de Estância recebeu a equipe do Conselho Regional de Enfermagem de Sergipe (Coren-SE), nesta terça-feira, 02/06, que visitou a localidade para averiguar denúncia recebida pelo Departamento de Fiscalização do Conselho, sobre exercício irregular de enfermagem e outros pontos no Hospital Regional de Estância Dr. Jessé Fontes.

Na ocasião, o enfermeiro fiscal do Coren-SE, Evaldo Lima, verificou a procedência da inconformidade relatada em denúncia. Foram identificados três profissionais na área amarela exercendo competências incompatíveis com a categoria, de acordo com a legislação do exercício da profissão. Os profissionais cuidavam de pacientes críticos, com descompensação hemodinâmica, uso de sedativos e cardiotônicos.

Com base no que foi averiguado sobre o exercício irregular, o Coren-SE realizou notificação e solicitou de imediato o afastamento dos referidos profissionais destes cuidados, reivindicando que a instituição dispusesse apenas de técnicos (as) e enfermeiros (as) para assistir os pacientes com os quadros críticos já citados.

Sobre os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) foram constatados déficit e descontinuidade na oferta, por este motivo, pensando nos profissionais de enfermagem que atuam no hospital, a equipe do Coren-SE doou 150 máscaras N95/PFF2, que serão disponibilizadas para as equipes de enfermagem. Em tempo, a equipe cobrou a devida adequação da dispensação e melhor oferta dos EPIs aos profissionais de Enfermagem. Orientações sobre os cuidados com os portadores de Covid-19 também foram passadas, bem como foi salientada a necessidade de definir e respeitar fluxo adequado na instituição de saúde.

Um outro ponto identificado está relacionado à escala médica, que não contempla a necessidade de assistir o pronto-socorro geral e a unidade de acometimentos respiratórios. Apesar desta questão não ser de responsabilidade do Coren-SE, ela reflete na equipe de enfermagem, uma vez que o mesmo profissional médico precisa transitar nas duas áreas (de pronto-atendimentos sintomáticos respiratórios e não sintomático), além de atender sintomáticos respiratórios no pronto-socorro dos não sintomáticos, podendo aumentar os riscos de infecção cruzada, bem como ampliando a exposição dos profissionais de enfermagem e pacientes no pronto socorro geral, que estão expostos, sem os EPIs adequados para proteção de Covid-19.

Para solucionar esta situação, a equipe do Conselho Regional de Enfermagem de Sergipe solicitou que, caso somente haja possibilidade de manter apenas um médico na instituição de saúde para atender as duas unidades, que sejam disponibilizados, então, todos os equipamentos necessários para as equipes de enfermagem do pronto-socorro, a exemplo dos capotes impermeáveis, máscaras N95/PFF2 e protetores faciais / face shields.

Durante a visita o Coren-SE dialogou com o Responsável Técnico (RT) do local e com a equipe de enfermagem presente na instituição de saúde no momento da fiscalização do Coren-SE. A partir de agora o Conselho Regional fará o acompanhamento das devidas alterações e, caso necessário, tomará as medidas judiciais cabíveis para garantir a concretização das devidas conformidades.

 

Fonte: Ascom Coren-SE

Imagem: Infonet




  • bannerConvenio207x117
  • bannerTransparencia 207x 117
  • e-dimensionamento-207x117