- Conselho Regional de Enfermagem de Sergipe - http://se.corens.portalcofen.gov.br -

Enfermagem Solidária abraça a distância quem perdeu tudo com enchentes

Criado para proporcionar acolhimento a profissionais de Enfermagem no momento mais crítico da pandemia de covid–19, o programa Enfermagem Solidária foi retomado no dia 5 de janeiro em novo formato. “Retomamos as atividades em apoio aos profissionais que enfrentam momentos críticos e à população afetada pelas enchentes. É o nosso abraço solidário, uma escuta atenta no momento crítico”, afirma a presidente do Cofen, Betânia Santos, que anunciou o acolhimento focado também em Minas Gerais.

[1]

A iniciativa havia encerrado atendimento via chat em novembro, e agora atua em novo formato, respondendo a situações emergenciais. Após as fortes chuvas e enchentes na Bahia, no final do ano, agora Minas Gerais enfrenta situação crítica. Já foram identificado 136 profissionais atingidos, em levantamento do Cofen e Coren-MG. O município mais atingido é o de Brumadinho, com 49 enfermeiros, técnicos e auxiliares de Enfermagem afetados.

Com o objetivo de oferecer conforto especial a quem sofre com as recentes chuvas na Bahia e em Minas Gerais, é oferecido um “abraço a distância” em quem sofre, como explica a coordenadora da Comissão de Saúde Mental do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen), Dorisdaia Humerez.

“A Enfermagem Solidária, nesta situação de catástrofe, apoia quem perdeu seus bens, os quais muitas vezes conseguiu com muita dificuldade. Não temos, na saúde mental, resposta. Acolhemos emocionalmente, abraçamos a distância, ouvimos a dor e tentamos compreender ao máximo para ajudar a buscar as possibilidades que a pessoa tem para se reconstruir”, diz Dorisdaia.

Reunindo enfermeiros voluntários especializados [2] em Saúde Mental, sob coordenação do Cofen, o Enfermagem Solidária foi lançado em março de 2020,  oferecendo apoio às equipes na linha de frente do combate à covid-19. Foi  reativado, com o recrudescimento da pandemia, em resposta ao estresse vivenciado pelos profissionais do Amazonas após o colapso sanitário. De acordo com levantamento do Coren-SP [3], mais de 60% dos profissionais da Enfermagem relataram sofrimento mental relacionado ao trabalho durante a pandemia.

Para o coordenador da Equipe de Resposta Rápida do Cofen, Eduardo Fernando,  a atuação online reforça o apoio em campo. Eduardo, juntamente com a presidente do Cofen e conselheiros, percorreu com o Coren-BA as cidades atingidas pela tragédia na Bahia, prestando assistência aos 160 profissionais de Enfermagem que estavam em abrigos. “É um atendimento que acrescenta ao trabalho de campo e vai ser um grande responsável por manter a saúde mental dos profissionais e os acolher em um momento de perda”, diz Eduardo Fernando.

O atendimento é por chat, das 9h às 21h. “A previsão inicial é manter este atendimento até o dia 19 de janeiro, mas pode ser ampliado conforme demanda”, explica Dorisdaia. O chat está disponível no canto inferior do site www.cofen.gov.br.

Fonte: Ascom – Cofen